Couple looking to each other during therapy session while therapist watches

O que é a Psicoterapia Sistêmica?

É uma abordagem terapêutica que considera o mundo interno como parte de um mundo de relações. Parte-se da premissa de que qualquer forma de pensamento é relacional, então que só é possível construir qualquer forma de pensar positiva, se a abordagem não ficar unicamente centrada no papel do indivíduo, como também no entendimento das relações de interdependência que estes indivíduos têm com outros sistemas, como: os familiares; o profissional; o social.

Esta abordagem terapêutica pode ser trabalhada em grupo?

Sim, por abordar a relação entre sistemas, esta abordagem é indicada também para o trabalho com famílias, casais e grupos. A dinâmica desta metodologia faz com que, durante o tratamento, questões ligadas à forma com que cada um dos indivíduos se relacionam sejam sempre analisadas.

 

 

Por exemplo, em uma dinâmica com casais, as ideias de cada um dos atores, suas histórias e percepções são utilizadas como ferramenta de análise, para que se possa buscar melhor entendimento das eventuais disfunções ou disparidades do relacionamento.

Qual a origem da terapias sistêmicas?

Este modelo terapêutico surgiu em meados da década de 50, nos Estados Unidos, quando um antropólogo chamado Gregory Bateson desenvolveu um estudo sobre comunicação e esquizofrenia, que foi considerado o percursor das terapias sistêmicas.

Aplicada inicialmente em familias, o modelo teórico evoluiu com os anos e passou a ser utilizado mundialmente no tratamento de casais e também de indivíduos, sempre com resultados satisfatórios.