Estresse – Podemos Controlá-lo?

Fonte Imagem: http://www.adequarpsicologia.com.br/attachments/Image/d59f69978d5b7eebc9d930a04e18c323.jpg?template=generic

Pensando em algo relevante para a saúde física e emocional de todos nós, trazemos algumas informações sobre um dos principais vilões relacionados a nossa qualidade de vida, sempre que presente em altas doses.

Pensou em café? Em bebidas alcóolicas? Drogas lícitas ou ilícitas? Também procede, mas estamos falando do estresse, que pode estar diretamente relacionado ao trabalho ou às demais exigências sociais (estresse externo), mas com especial destaque, do tipo menos comentado, chamado “fábrica particular de estresse” (estresse interno).

Essa fábrica particular de estresse relaciona-se ao nosso modo de ser e agir movidos por nossas crenças, muitas vezes difícil de avaliar, e por isso, raramente nos damos conta de sermos as principais fontes geradoras da situação estressante. Um exemplo disso: se acredito que para mostrar o meu valor no trabalho devo participar de todos os projetos e eventos, não rejeito nenhum convite, e sem tempo e disponibilidade geral suficientes, posso comprometer a qualidade da minha atuação.

Agenda sobrecarregada e atividades simultâneas levam a uma participação sem o devido preparo e acabam até por denegrir a boa imagem profissional, ao contrário do propósito inicial. Outros exemplos também corriqueiros: desconsiderar o tempo para os deslocamentos e chegar atrasado; não se atualizar na área de atuação e perder a competência técnica; auto determinar-se rotinas pesadas, por vezes até para atividades de lazer, que ao se tornarem obrigações perdem o efeito relaxante que deveriam trazer. É uma infinidade de situações que poderiam estar sendo administradas por nós, em nosso favor e nem nos damos conta!

O Dr. Hans Selye (1926), chamado pai da “estressologia” usou a palavra stress para descrever um estado de tensão patogênico, que causa a ruptura do equilíbrio do nosso organismo. Anos depois, Selye (1965) definiu stress como sendo “uma reação do nosso organismo com reações psicofisiológicas que ocorre frente a situações que o amedrontam, excitam ou até mesmo o façam feliz”.

Estudos recentes comprovam que o estresse bem dosado nos permite a energia necessária para executar as coisas, enfrentar os desafios diários e até mesmo fortalecer o nosso coração, mas na medida em que vai se tornando mais intenso, começa a apresentar sintomas que podem se agravar e evoluir para um quadro de doenças. Isso porque em momentos de desafio, o coração bate rápido demais, exige mais dos outros órgãos e eles perdem a sintonia: o estômago não digere bem os alimentos e pode ocorrer a insônia. Esses são os sintomas iniciais, que podem evoluir para ansiedade, pânico e outras doenças físicas ou emocionais.

Assim, pelo término da fonte estressora ou aprendendo a lidar adequadamente com ela, eliminamos o estresse inicial e voltamos ao equilíbrio. Uma boa notícia é que ao nos mantermos atentos entramos e saímos desses dois estágios – e isso é algo comum e aceitável.

Faça o teste abaixo para verificar qual o seu estágio atual ! Atente para a sua “fábrica particular de estresse” e aprenda a lidar com os estressores externos: muito está em suas mãos!

 

TESTE DE ESTRESSE

 

  • LEVANTAMENTO DE SINTOMAS DE ESTRESSE

Marque na tabela de respostas quantas vezes na última semana você sentiu o descrito abaixo:

  1. Tensão muscular, tais como aperto de mandíbula, dor na nuca, etc.;
  2. Hiperacidez estomacal (azia) sem causa aparente;
  3. Esquecimento de coisas corriqueiras, como o número de um telefone que usa com frequência, onde pôs a chave, etc.;
  4. Irritabilidade excessiva;
  5. Vontade de sumir de tudo;
  6. Sensação de incompetência, de que não vai conseguir lidar com o que está ocorrendo;
  7. Pensar em um só assunto ou repetir o mesmo assunto;
  8. Ansiedade;
  9. Distúrbio do sono, ou dormir demais ou de menos;
  10. Cansaço ao levantar;
  11. Trabalhar com um nível de competência abaixo do seu normal;
  12. Sentir que nada mais vale a pena.

 

° TABELA DE RESPOSTAS

ITEM 01 – FREQUÊNCIA: _______________

ITEM 02 – FREQUÊNCIA: _______________

ITEM 03 – FREQUÊNCIA: _______________

ITEM 04 – FREQUÊNCIA: _______________

ITEM 05 – FREQUÊNCIA: _______________

ITEM 06 – FREQUÊNCIA: _______________

ITEM 07 – FREQUÊNCIA: _______________

ITEM 08 – FREQUÊNCIA: _______________

ITEM 09 – FREQUÊNCIA: _______________

ITEM 10 – FREQUÊNCIA: _______________

ITEM 11 – FREQUÊNCIA: _______________

ITEM 12 – FREQUÊNCIA: _______________

  • VERIFIQUE O SIGNIFICADO DA SUA PONTUAÇÃO

                  Considere apenas o número de itens assinalados que apresentam mais de quatro reincidências.

– NENHUM ITEM ASSINALADO:

Parabéns, seu corpo está em pleno funcionamento no que se refere ao stress.

– DE 1 A 3 ITENS ASSINALADOS:

A vida pode estar um pouco estressante para você. Avalie o que está ocorrendo. Veja o que está exigindo demais de sua resistência. Pode ser o mundo lá fora, pode ser você mesmo. Fortaleça o seu organismo.

– DE 4 A 8 ITENS ASSINALADOS:

Seu nível de stress está alto, algo está exigindo demais do seu organismo. Você pode estar chegando no seu limite. Considere uma mudança de estilo de vida de hábitos. Analise em que o seu próprio modo de ser pode estar contribuindo para a tensão que está sentindo.

– MAIS DE 8 ITENS ASSINALADOS:

Seu nível de stress está altíssimo. Cuidado. Procure a ajuda de um psicólogo especializado em stress. Sem dúvida você tem fontes de stress representadas pelo mundo ao seu redor (pode ser família, ocupação, sociedade, etc.) e fontes internas (seu modo de pensar, de sentir, de ser) com as quais precisa lidar.

Fonte: Centro Psicológico de Controle do Stress de São Paulo

One thought on “Estresse – Podemos Controlá-lo?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Abrir chat
Como posso ajudar?
Como posso ajudar?